quinta-feira, 22 de junho de 2017

TREVO




Quando uma ideia surge ou estala na cabeça e borbulha feito água fervente o que deve ser feito? Colocá-la em prática! Foi o que fizemos após uma reunião em família, decidimos realizar uma marca na pele que se não apaga jamais.

Após todas as pessoas envolvidas estarem cientes marcamos o compromisso. Subdividimos o grupo em três fases, participei da segunda, pesquisei muito e mais um pouco sobre o assunto, perguntei para várias pessoas que encontrava na rua, metro, academia até nas redes sociais a sua experiência.

O grande dia chegou. Tudo certo, subi as escadas certa que seria a primeira não por medo, pois estava tranquila juro, mas preferi ver o procedimento em outra pessoa, fui me acalmando ainda mais percebendo que não era um bicho de sete cabeças.
                                          
Sendo a segunda do trio a escutar o barulhinho e sentir o desenho se formando percebi que o grande dilema das pessoas é o quesito dor, mas é muito relativo e vai do momento da pessoa, o local que vai fazer, o tamanho também influência etc. De uma escala de zero a dez dou quatro. Suportável né?  

Quanto tempo durou? Menos do que imaginei  cinco minutos de coragem, contorno, concentração e muitas surpresas. O que fizemos? Uma tatuagem! Por que?

Porque temos muita sorte de ter uma família sempre unida em todos os momentos. Escolhemos o trevo de quatro folhas como símbolo, ele é raro e representa amor, fé, esperança e principalmente sorte.


Para não perder o costume fiz um poema sobre o trevo, aqui embaixo:


       

         Tatuagem
                                       
           Raridade, tranquilidade

           Espontaneidade

           Verde, mas na pele temos apenas o contorno

           Original dentro da personalidade de cada um. 




E você já passou por essa experiência? Ou tem vontade? Me fala nos comentários ;) 


                                                                                                          Até a próxima!